6 de abril de 2013

Ansiedade sim, Remédios não.


"Acho que não vai ter jeito, vou ter que tomar um remédio para ansiedade, está fugindo do controle"

E foi este comentário que me deixou intrigada durante a semana... 
Sei que muitas de vocês não acharam nada demais nisso, mas me sinto na obrigação de colocar meu ponto de vista aqui, primeiro porque não suporto a ganância da indústria farmacêutica (que coloca os remédios como curadores de todos os problemas orgânicos) e segundo porque sou Psicóloga (e acredito no efeito de fatores psicológicos nas doenças). 

1. Você é Ansioso? Que bom!!

Hoje em dia todo mundo se diz "Ansioso". Eu não discordo disso! Acredito que a Ansiedade em si não é uma doença, ela faz parte do nosso sistema de defesa de modo que ser ansioso no passado nos ajudou a manter a espécie viva. Portanto, a primeira coisa que tem que entrar na cabeça das pessoas é que SER ANSIOSO É NORMAL, não é um defeito! Poréééém, acredito também que a história de vida pessoal faz com que sejamos ansiosos em maior ou menor grau - e é isso que vai determinar a ansiedade como normal ou patológica.
Por exemplo, digamos que você estava andando na rua e foi assaltada. Naquele momento você ficou em choque e isso se configurou numa experiência traumatizante pra você. Pode ser que nas próximas vezes que você venha a andar na rua sozinha, sinta sintomas típicos de ansiedade, como o coração palpitar, os tremores, calores, etc. Mas isso é de todo ruim? Não... estes sintomas avisam ao seu corpo que você pode estar em perigo na rua. É um mecanismo natural que tende a manter a espécie protegida.
Mas daí, a vida continua e você precisa andar sozinha na rua de novo, seja pra ir pro trabalho ou pra qualquer outro compromisso. Pode ser que nos primeiros meses você ainda apresente sintomas típicos da ansiedade, mas uma hora, quando você menos perceber, eles terão passado. Se não passarem, aí sim você deve buscar ajuda. Ajuda de remédios? Eu diria que não...

2. Daí eu te pergunto, o que é a Ansiedade? 

Não basta apenas responder que ela é uma espécie de agonia, em que o corpo fica agitado, a mente dispersa e o raciocínio conturbado. Trata-se na verdade de "um estado emocional com a qualidade do medo, desagradável, dirigido para o futuro, desproporcional e com desconforto subjetivo" (Aubrey Lewis).

Como você pode observar, fiz questão de grifar o "medo", porque é ele que perambula por trás de toda ansiedade (ás vezes de forma inconsciente). Como mostra o exemplo acima, geralmente as situações ansiogênicas são situações semelhantes a situações que já aconteceram no passado e que configuraram-se como experiências traumatizantes. Por conta disso, a pessoa ansiosa vive num estado de alerta constante (medo) por causa de uma situação que pode vir a acontecer novamente e causar sofrimento. Ela sofre por antecipação e isso lhe causa angústia e estresse.
Mas o psiquismo humano é perfeito e sempre existem mecanismos de compensação, pois não podemos ficar angustiados e estressados pra sempre - e nosso corpo sabe disso. Daí ele nos faz buscar modos de aliviar este estresse, normalmente através de alguns rituais: há quem vá às compras demais (consumistas compulsivos), há quem lave as mãos demais (higiene compulsiva), há quem verifique se trancou a porta do carro demais (vigilância compulsiva), há quem arrume a casa demais (organização compulsiva), há quem faça cirurgia demais (simetria compulsiva) e, dentre tantas outras coisas, há quem coma demais (compulsivos alimentares).


E considerando os medos que estão por trás de nós, gordinhas, o que vocês tem a me dizer? Eu pessoalmente morro de medo de engordar, mas por quê?

Algum tempo de psicoterapia me fez perceber que a única razão é: porque eu já fui gorda no passado, e isso me remete a momentos de rejeição por parte dos meninos, de solidão por parte das pessoas que me esculhambavam e me deixavam de lado, de abandono talvez, por parte daqueles que se aproveitavam de mim e depois iam embora, enfim. Remete a uma fase tão ruim da minha vida que eu luta com todas as forças pra não voltar a ser assim de novo. E quando há algo minimamente frustrante nesta minha busca, eu fico ansiosa e alivio minhas dores na comida. E se eu como muito, eu engordo... Complicado?

Portanto, o problema está não na Ansiedade em si, mas no modo como a aliviamos!

3. Quanto aos remédios?

Eis onde quero chegar. Os remédios não vão curar a sua ansiedade, primeiro porque a ansiedade não é um mal a ser combatido e segundo porque remédio não cura: remédios aliviam sintomas! Se você tem uma dor de cabeça e toma um remédio, sua cabeça vai parar de doer por um momento, o que não significa que você não vai ter dor de cabeça nunca mais. Se você tem gastrite e toma um remédio, sua dor vai passar por um momento, mas experimente beber um suco de limão novamente que a dor vai voltar. Se você sente tremores, palpitação e calor intenso porque está ansiosa, o remédio vai aliviar estes sintomas, mas o medo vai continuar lá. E remédio pra medo? Ah, esse não existe...

7 comentários:

Como Melhor Logo Emagreço disse...

eu não curto remédio, e para fobias há um monte de tratamento alternativos como acupuntura, reiki, ioga, pilates, mas tb acredito que há casos que precisa sim tomar remédios. Tomei na época que estava parando de fumar, e era específico para ansiedade pela falta do nicotina no meu organismo...mas graças a Deus já não tomo mais nada e conseguir parar de fumar, já faz 4 anos...acho que muitas pessoas tomam remédios sem necessidades, no entanto, a maioria, toma por receita médica, que é a pessoa certa para decidir se temos ou não que tomar algum remédio...atualmente só faço tratamento homeopatico e tem me ajudado muito...bom final de semana...bjs

Gi, Projeto Eu Fininha disse...

Oi Andrea, também acho remédio um barco furado e agora parece que virou moda. Muita gente tomando remédio como se fossem balinhas. Eu hein!!!

Eu estou com acompanhamento com uma nutricionista que me deu uma lista de alimentos para fazer as substituições e eu sempre faço do meu jeito torto. Sempre que quiser palpitar vai ser muito bem vinda, viu? Obrigada pela visita. Beijos

Bia Lima disse...

É legal expôr seu ponto de vista!
Eu concordo em algumas coisas e em outras não, acho sim que alguns medicamentos são apenas paliativos, porém existem os que curam, com certeza não é o caso da ansiedade, sou contra tomar remédios pra ansiedade, depressão e afins, esses que viciam, já precisei e recusei tomar e hoje estou completamente saudável!

Ótimo o seu post!
Beijos

projet0vida disse...

Tem váários alimentos que combatem a ansiedade, sem necessidade de remédios!! o/
espinafre, banana, frutas cítricas, carbos complexos, carnes/peixes, chocolate amargo, leite, ovo e derivados magros :D
Logo, remédio, só em situações extremas mesmo.

Ju disse...

Adorei o seu post, é excelente! Eu super concordo com você. Vários médicos já me indicaram remédios controlados para ajudar na ansiedade e, consequentemente, emagrecer, mas eu não quis.

Pra que se viciar em mais uma coisa, né?! rsrsrs

Beijinhos

Simples Assim disse...

Também sou totalmente contra remédios ... mas tem quem precise né, quando é muito atacada!


Bjs

Ju disse...

Eu já tomei remédio, e não, não sou contra, nem a favor... acho que existem casos e casos, e situações de crises... o problema é a banalização e a auto medicação!!!
Faço terapia, o que pra mim é muito importante!!1
E o que tem me ajudado muito é: meditação!!! A bichinha funciona!!! rs
Bjo grande